Podem ser usados para contar passos, calorias, o ritmo cardíaco, para medir os períodos de sono e alguns fazem até mesmo eletrocardiogramas. Os wearables na saúde têm ganhado cada vez mais espaço na medida em que mais estudos e tecnologias vão sendo desenvolvidos. 

Embora grande parte deles fique restrita ao uso recreativo e para o bem-estar, pois não entregam dados precisos para um diagnóstico médico de segurança, esse é um tipo de tecnologia que vem crescendo bastante. 

Para se ter uma ideia, um estudo da Cisco AppDynamics mostrou que 33% dos brasileiros utilizam ao menos um dispositivo wearable de saúde. Além disso, calcula-se que em um ano essa quantidade deve saltar para 86%, levando em consideração aqueles que pretendem usar esse tipo de tecnologia. 

Isso porque as pessoas, além de terem ficado mais dependentes da tecnologia com a pandemia, buscam cada vez mais gerenciar sua própria saúde. Seja para manter seu bem-estar ou como uma forma de prevenção de doenças, os dispositivos vestíveis na saúde já conquistaram um lugar importante no mercado. 

Antes de falar sobre os benefícios dos wearables na saúde, vamos explicar com mais detalhes o que é um wearable, certo? Vamos lá!

Leia também: Como foi o avanço da tecnologia na medicina?

Wearable: o que é?

Wearable são tecnologias vestíveis. Isso significa que são dispositivos eletrônicos conectados com algum acessório, como relógios, pulseiras e anéis, ou em alguma roupa como camisetas, por exemplo. É tudo aquilo que fica em contato com o corpo, que pode ser vestido e possui alguma tecnologia inserida. 

Quando falamos de wearables na saúde, são aqueles dispositivos que são capazes de monitorar uma pessoa remotamente. Eles coletam, armazenam e processam dados em tempo real da pessoa que está vestindo e, posteriormente, podem ser utilizados para analisar a saúde e o bem-estar. 

Além disso, essa tecnologia na medicina ajuda a empoderar o próprio paciente, que tem em suas mãos dados sobre sua saúde. Isso pode trazer mais consciência às pessoas além de colocar o paciente no centro do cuidado. 

Para ficar ainda mais claro, podemos citar alguns exemplos de dispositivos wearables, como: 

  • Smartwatches, que são os relógios inteligentes;
  • Smartbands, são as pulseiras inteligentes;
  • Anel, que monitora doenças crônicas, como diabetes e pressão alta;
  • Smart glasses, são os óculos inteligentes; 
  • Meias com dispositivos na sola para bebês;
  • Roupas inteligentes;
  • Adesivo com sensores para aferição da taxa de glicemia em diabéticos. 

Dessa maneira, os dispositivos vestíveis na saúde são utilizados para medir algum tipo de aspecto relacionado à saúde, como monitoramento cardíaco, passos, gasto calórico, sono, nível de glicose no sangue, entre vários outros. 

Ao explicar o que é um wearable e qual o papel desses dispositivos vestíveis na saúde, já dá para  ter uma noção dos benefícios que eles trazem, não é mesmo? Mas, para ficar ainda mais claro, vamos destacar alguns. 

Leia também: Inteligência artificial na saúde: possibilidades de aplicação, benefícios e orientações da OMS

Quais os benefícios dos wearables na saúde? 

1. Maior possibilidade de atendimento a distância 

Vários tipos de tecnologia vêm contribuindo com o crescimento dos atendimentos a distância, pela telemedicina. A Memed, por exemplo, é uma plataforma de saúde que oferece prescrição digital gratuita para os médicos e conta com mais de 60 mil medicamentos cadastrados em seu sistema. Certamente ela facilita e agiliza o atendimento médico no Brasil todo. 

Da mesma maneira, os dispositivos wearables também auxiliam o teleatendimento. Isso porque eles oferecem mais informações sobre o paciente, o que pode gerar um atendimento muito mais completo e seguro. 

Muitas vezes a escassez de informação sobre uma pessoa ao ser atendida remotamente prejudica a qualidade do atendimento. 

2. Melhor monitoramento de doenças

Com o avanço da tecnologia e o constante aprimoramentos dos dispositivos wearables, fica cada vez mais factível monitorar doenças crônicas, como diabetes e hipertensão. Além disso, eles tornam a vida do paciente mais confortável, como é o caso dos diabéticos. 

Antes era necessário furar o dedo e pegar amostra de sangue para avaliar a taxa glicêmica, hoje esse controle pode ser feito por meio de um adesivo que é colado na pele da pessoa e é indolor. 

Veja no vídeo abaixo como esse adesivo para controlar a taxa de glicemia funciona: 

Leia também: Quais os principais impactos da LGPD na saúde?

3. Possibilidade de antecipar algum problema de saúde

Grande parte dos problemas de saúde apresentam sintomas. Isso significa que nosso corpo emite sinais que, com a ajuda da tecnologia, podem ser percebidos com antecedência por profissionais da área de saúde. 

Nesse sentido, quanto mais dados temos sobre nossa saúde, maiores são as chances de conseguirmos prevenir que algo pior aconteça. Dessa forma, acompanhar a saúde de forma constante ajuda identificar sinais que indicam algo maior ou mais grave.

4. Incentiva o autocuidado

Outro benefício do uso dos wearables na saúde é promover o autocuidado e autoconhecimento. Isso porque quando passamos a entender e monitorar como nosso corpo funciona, nos preocupamos mais com o cuidado da nossa saúde. 

5. Contribui com a adesão do paciente ao tratamento

De acordo com um estudo realizado pela Accenture, quase 90% dos pacientes e 94% dos médicos disseram que os wearables contribuem para o engajamento dos pacientes com a saúde. Além disso, eles também não se importam em compartilhar dados dos seus dispositivos wearables com médicos e enfermeiros. 

Hoje em dia está tudo mais fácil de ser acessado, as pessoas possuem mais informação, e com a praticidade que a tecnologia traz, inclusive para a saúde, fazem com que as pessoas se engajem mais no tratamento.

As prescrições digitais são um exemplo disso, pois o paciente recebe a receita por SMS, WhatsApp ou e-mail e pode comprar o medicamento do próprio celular, economizando tempo e dinheiro. Esse é apenas um dos benefícios da prescrição digital.