A classificação dos tipos sanguíneos é feita conforme a presença ou ausência do aglutinogênio (antígeno), que está concentrado na superfície das hemácias, ou de aglutininas, denominado também como anticorpos. O sangue é dividido em quatro tipos, de acordo com o sistema ABO: A, B, AB e O. 

Neste artigo, vamos explicar quais são as características de cada um, quem doa para quem, qual tipo sanguíneo é o doador universal, além de disponibilizar uma tabela de doação de sangue. 

Quer entender de uma vez por todas a compatibilidade sanguínea? Então, continue com a leitura e tire as suas dúvidas. 

Leia mais em: Conheça os tipos de medicamentos e suas funções

1- Quem criou os tipos sanguíneos? 

Karl Landsteiner. O médico e cientista austríaco descobriu o sistema de grupos sanguíneos “ABO”. A partir desse estudo, foi possível aplicar transfusões de sangue mais seguras. Afinal, as pessoas sabiam quais eram os seus tipos sanguíneos e com quem eles eram compatíveis. 

A descoberta foi tão importante que o cientista recebeu o prêmio Nobel de Medicina em 1930. O processo ocorreu da seguinte forma. 

  1. Coleta de amostras de sangue;
  2. Glóbulos vermelhos isolados;
  3. Aplicou diversas combinações entre as amostras de plasmas e hemácias. 

Foi possível identificar em certos testes que os glóbulos se juntavam, transformando em coágulos e/ou grânulos. Se esse processo ocorre no interior dos vasos sanguíneos, o fluxo de sangue é paralisado e o indivíduo pode vir a óbito. Já em outros testes, esse cenário não acontecia. 

De acordo com os testes desenvolvidos, Landsteiner compreendeu os motivos pelos quais alguns indivíduos morriam após as transfusões de sangue e outros não, garantindo mais segurança em diversos procedimentos cirúrgicos. 

O médico nasceu em 14 de junho de 1868, na cidade de Baden, na Áustria. Ele se naturalizou norte-americano depois de sair do seu país de origem. O profissional faleceu no município de Nova York em 1943, aos 75 anos.

O austríaco concluiu a medicina no município de Viena. Os primeiros estudos do profissional tiveram como foco a genética do sangue humano. Ele ganhou destaque no mundo após utilizar o próprio sangue e de outros colaboradores do laboratório para comparar com a de macacos e outros animais. 

Em 1927, quando era funcionário no instituto Rockfeller, o cientista entrou para a história ao vacinar coelhos contra várias doenças sanguíneas e identificou antígenos no sangue do homem. 

O médico ajudou ainda a descobrir o vírus da Poliomelite e o fator RH, que mostra se o seu tipo de sangue é positivo ou negativo. Por fim, e não menos importante, ele também foi responsável por assinar o termo “anticorpo”, que ganha cada vez mais destaque na medicina, especialmente após a pandemia causada pelo novo coronavírus. 

Leia mais em:

2- Por que é importante conhecer os tipos sanguíneos? 

A Tipagem Sanguínea tem como objetivo coletar e analisar o sangue de um indivíduo para descobrir qual é o grupo sanguíneo que ele pertence. 

Ter conhecimento sobre o seu tipo de sangue é essencial durante um atendimento. Imagine, por exemplo, que você sofreu um acidente e necessita de reposição de sangue. Se ele é do tipo A, os médicos sabem que só podem recorrer às versões do tipo A ou O. Caso contrário, terão mais dificuldades para efetuar o procedimento. 

Além disso, se a doação não for feita com o sangue incompatível, o paciente pode apresentar diversos tipos de reações. 

  • Calafrio;
  • Tremor;
  • Insuficiência renal;
  • Risco de óbito”, alerta Covas..

Ao conhecer o tipo sanguíneo, é possível fazer outros tipos de atendimentos, além de transfusões e gestações. Nunca é demais deixar claro o quanto isso é importante também para a doação de sangue, que é cada vez mais essencial no Brasil. 

No Ceará, por exemplo, a população contém diversos tipos de sangue. Os mais comuns são o tipo O e A, de acordo com dados divulgados pela Secretaria de Saúde

Essa versatilidade é muito positiva, uma vez que é possível atender indivíduos com qualquer tipo sanguíneo. Mas, nem sempre, todas as cidades têm a mesma sorte. 

Por isso, quando você conhece qual é o seu tipo sanguíneo e descobre que ele é um tipo raro, estará fazendo uma lindo ato de amor para o país com a doação. Afinal, uma única pessoa consegue ajudar até quatro indivíduos, que, talvez, nem poderiam ter essa chance de recuperação. 

Doação de sangue 

Nunca é demais lembrar que não há risco de contrair doenças durante a doação. O seu organismo repõe rapidamente o sangue doado, a doação é rápida e não tem contraindicações, como engordar ou emagrecer. 

Para doar sangue, basta apenas atender às seguintes exigências, de acordo com o Hemocentro de São Paulo

  • Estar em boas condições de saúde.
  • Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, clique para ver documentos necessários e formulário de autorização).
  • Pesar no mínimo 50kg.
  • Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas).
  • Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação).
  • Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade ou cópia autenticada; Cartão de Identidade de Profissional Liberal; Carteira de Trabalho e Previdência Social; Carteira Nacional de Habilitação, digital ou física; RNE – Registro Nacional de Estrangeiro; Título de Eleitor Digital, desde que tenha a foto; e Passaporte brasileiro com filiação).

Além disso, existem algumas pessoas que estão dentro dos principais impedimentos temporários.

  • Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas;
  • Gravidez;
  • 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana;
  • Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses);
  • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;
  • Tatuagem, maquiagem definitiva e micropigmentação (sobrancelhas, lábios, etc.): aguardar 12 meses; se feitas em local adequado (seguro) e com todos os cuidados necessários (assepsia correta e material descartável), o prazo é de 6 meses;
  • Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses;
  • Qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia, etc.): aguardar 6 meses;
  • Extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação): por 7 dias;
  • Cirurgia odontológica com anestesia geral: por 4 semanas.
  • Acupuntura: se realizada com material descartável: 24 horas; se realizada com laser ou sementes: apto; se realizada com material sem condições de avaliação: aguardar 12 meses;
  • » Vacina contra gripe: por 48 horas.

No Brasil, de acordo com dados do Governo Federal, 1,4% da população doa sangue. Apesar da quantidade atender os parâmetros recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Ministério da Saúde sempre desenvolve ações para aumentar o índice de doações. Afinal, em algumas regiões do país, como Salvador, o banco de sangue é crítico.  

Por isso, doe! O processo é seguro e não traz problemas para a sua saúde. 

3- Quais são os tipos sanguíneos? 

  • Sangue A: é o tipo mais recorrente. Ele é conhecido por ter anticorpos contra o tipo B, também denominado de anti-B. Só pode receber sangue de indivíduos do tipo A ou O; 
  • Sangue B: é um dos tipos sanguíneos mais escassos. Ele tem a presença de anticorpos contra o tipo A, também denominado de anti-A. Por isso, está apto a receber somente sangue de indivíduos do tipo B ou O; 
  • Sangue AB: também não é fácil encontrar esse tipo sanguíneo. Por outro lado, ele não contém anticorpos contra A ou B. É uma boa vantagem, afinal, não tem restrições para receber sangue de outros níveis.

4- Qual tipo sanguíneo é o doador universal? 

  • Sangue O: popularmente chamado de doador universal, é um dos mais frequentes. O ponto negativo do tipo sanguíneo O é que ele contém anticorpos anti-A e anti-B. Isso significa que está apto a receber apenas sangue de indivíduos do tipo O. Se a restrição não for obedecida, pode ocorrer a aglutinação das hemácias. 

5- Fator RH: por que eu preciso saber? 

Ao contrário do que muita gente imagina, a classificação dos tipos sanguíneos não é feita apenas conforme o sistema ABO. Ela também é aplicada conforme o fator Rh em + ou -. 

Esse conceito está associado a um antígeno que pode ser encontrado nas hemácias e que não pode ser ignorado no processo de transfusão. Caso contrário, podem ocorrer complicações sérias relacionadas à transfusão sanguínea. 

Os indivíduos que têm o fator Rh são classificados como Rh+. Eles estão aptos a receber sangue de pessoas com Rh+ quanto Rh-. Porém, a doação só está liberada para outros indivíduos que contém Rh+. 

Já as pessoas que não têm o fator Rh são denominadas como Rh-. A doação de sangue está autorizada para indivíduos que contém ou não o fator Rh, porém, só podem receber de pessoas Rh-. 

6- Quem doa para quem? 

Agora que você já sabe quais são os tipos sanguíneos e as principais características, provavelmente, está com dúvidas sobre quem doa pra quem, não é mesmo? 

Veja a tabela de doação de sangue que apresenta todos os cenários. Assim, será mais fácil descobrir a sua compatibilidade sanguínea. 

7- Exame para saber o tipo sanguíneo: qual é o indicado? 

O processo é simples. Você pode consultar a informação no resultado de exames de sangue antigos. Caso não tenha uma versão disponível, basta solicitar um exame de tipagem sanguínea. 

Nesse documento, é possível analisar o grupo ABO e ver se o seu sangue pertence ao A, B, O ou AB, além de compreender com mais clareza o fator Rh, isto é, se ele é positivo ou negativo. Assim, um indivíduo pode ser identificado como A+ ou A-, B+ ou B-. 

Você ainda está com dificuldades? Não tem problema. Em sua próxima consulta médica, pergunte ao profissional de saúde. Basta apresentar o resultado de um hemograma. 

Por isso, lembre-se de armazenar os resultados dos seus exames em um local seguro. A tecnologia pode auxiliá-lo nesse processo. 

8- Qual é o exame para saber o tipo sanguíneo do meu filho? 

Teste do pezinho. No entanto, em qualquer idade, é possível aplicar a tipagem para identificar alguma doença ou fazer um check-up. 

9- Como são feitas as coletas de sangue? 

Existem três formas de coletas de sangue: internas, externas e aférese. Veja abaixo as características de cada uma. 

  • Coletas internas: são conduzidas no Hemocentro ou na Unidade de Coleta e Transfusão;
  • Coletas externas: o processo pode ser feito na Unidade Móvel (ônibus que contém todos os itens necessários para fazer a Doação Voluntária de Sangue) em vários locais. A equipe também pode se deslocar para espaços pré-determinados com o intuito de descomplicar a doação. O local precisa estar higienizado e seguro; 
  • Aférese: nesse tipo de coleta, o processo é feito com o auxílio de uma máquina que remove somente o componente necessário. O restante é devolvido ao doador. Exemplo: um indivíduo que está apto a doar somente plaquetas. 

10- Covid e tipo sanguíneo: qual é a relação? 

Um estudo feito com mais de 100 mil participantes nos Estados Unidos concluiu que não existe associação entre o tipo sanguíneo e a chance de um indivíduo contrair a Covid-19. 

Para chegar a essa conclusão, o estudo, publicado no The Journal of the American Medical Association, recorreu a base de dados de 24 hospitais e 215 clínicas de três estados americanos (Utah, Nevada e Idaho) relacionados ao Intermountain Healthcare, um sistema de saúde sem fins lucrativos.

De acordo com um estudo publicado no jornal científico “New England Journal of Medicine”, em julho de 2020, pesquisadores concluíram que as pessoas que tinham sangue tipo A eram mais suscetíveis a contrair a doença de maneira grave, enquanto os indivíduos do tipo 0, tinham menos probabilidade. 

O estudo americano de 2021 desmistificou todos esses mitos. Para os pesquisadores, as análises anteriores podem ter chegado a várias conclusões em virtude do “tamanhos de amostra menores e a natureza retrospectiva e observacional”.

Não basta compreender melhor os tipos sanguíneos e não cuidar da saúde, não é mesmo? Por isso, procure sempre visitar um médico para descobrir se não há nenhuma alteração. 

Você pode recorrer a tecnologias eficientes, como a da Memed, para facilitar todo o processo. Afinal, é possível visualizar o tratamento prescrito e até comprar os medicamentos com desconto na farmácia. Tudo online e sem complicações. Conheça todos os benefícios e saiba como a ferramenta pode ajudá-lo a descomplicar a relação com a sua saúde.