Como lidar com a competitividade no varejo farmacêutico brasileiro

Não há negócio no mundo que passe ileso à competitividade. No caso do varejo farmacêutico brasileiro, um dos pilares do ecossistema digital da saúde, isso não é diferente.

Em se tratando de um mercado bastante resiliente e que tem mantido um crescimento acima da média nos últimos anos, a concorrência tem ficado cada vez mais forte e agressiva.

Embora os números mostrem isso – são mais de 90 mil farmácias em todo o Brasil – basta dar uma volta no bairro para entender o tamanho do desafio.

Como não bastasse isso, o consumidor, por si só, está cada vez mais exigente. Busca preço, qualidade nos produtos, facilidades e atendimento personalizado e ágil. 

Não faz diferença se você é uma grande rede ou uma farmácia independente.  Todos estão no mesmo barco. 

O varejo farmacêutico brasileiro tem sido demandado a ofertar mais tecnologias on-line e presencialmente. Delivery, vendas on-line, aplicativos, reservar mercadorias e retirar na hora, itens de conveniência, vacinas. Nada disso é mais novidade. 

A importância da transformação digital e da dispensação digital de medicamentos no varejo farmacêutico brasileiro

Para lidar com esse alto nível de complexidade, é preciso ter estratégias para atrair consumidores, combater os concorrentes e manter a lucratividade do negócio. 

E é aí que a tecnologia e a transformação digital ganham ainda mais importância. 

Obviamente, existem muitas tecnologias que podem ser vistas e que envolvem as diversas esferas. 

Sem dúvidas a capacidade de dispensar medicamentos via receita digital é um diferencial importante para o varejo farmacêutico brasileiro. 

Diríamos que, diante do fato que a prescrição digital de medicamentos e as receitas digitais estão ganhando cada vez mais o gosto, respectivamente, de médicos e pacientes, isso é mais do que mandatórios.

As farmácias que estão prontas para isso conquistam, sem dúvidas, um diferencial competitivo interessante e, de quebra, conquistam segurança. Mas esse é um assunto para outra oportunidade…

Entendendo na prática as vantagens de adotar uma solução de dispensação digital de medicamentos na sua loja

Imagine este cenário: um paciente chega na loja e, ao invés de apresentar uma receita física, ele apresenta uma receita digital pelo celular. 

Caso sua farmácia não utilize uma solução de dispensação digital de medicamentos, o atendimento teria que ser recusado e o paciente sairia da loja de mãos vazias.

Isso seria no mínimo frustrante para os dois lados e significaria prejuízo para quem deixou de fazer a venda.

O que não faz o mínimo sentido no atual cenário competitivo do varejo farmacêutico brasileiro. 

Veja alguns pontos que podem te ajudar a identificar as vantagens:

  • Possibilidade de conquistar mais clientes: ao aderir a tecnologia, o estabelecimento fica muito mais visível para o consumidor que recebe sua receita via SMS no celular. A funcionalidade “Compre sem sair de casa” pode ser acessada via um botão , disponível na receita digital que o paciente recebe. Ao clicar em “comprar”, ele é direcionado a uma lista de redes de farmácias cadastradas e que possuem o sistema de  televendas e e-commerce.  Se não for a sua loja, será a do  concorrente.
  • Otimização do tempo: a Receita Digital é precisa. Ela chega ao balcão da farmácia totalmente legível. Imagine a segurança de eliminar as dúvidas que surgem pela ilegibilidade de uma receita manuscrita.

Confira a seguir como funciona a Receita Digital:

Quem não usa solução de dispensação digital de medicamentos  pode se considerar ultrapassado no varejo farmacêutico?

No cenário atual em que vivemos, o despreparo para certas situações ficou evidente. Houve, em razão da pandemia do coronavírus, um aumento significativo das receitas digitais, muito pela regulamentação da Telemedicina no Brasil, que diferentemente de outros países, ainda não era autorizada. 

Ou seja, foi perdido tempo até que tudo fosse regulamentado, quando já tínhamos tecnologia para resolver isso bem antes.

Além disso, a pandemia obrigou todos nós a uma adaptação rápida e muito empenho para entender novas funcionalidades.

Desta maneira, usar uma solução de dispensação digital de medicamentos, tornou-se um caminho sem volta.  

A  digitalização traz maior segurança para um processo que ainda hoje apresenta várias brechas para erros e fraudes.

É para facilitar e não complicar para o varejo farmacêutico brasileiro

Engana-se quem acha que o processo para começar a usar uma solução de dispensação digital de medicamentos é algo complicado. Muito pelo contrário. 

O cadastro além de gratuito é simples e pode ser feito seguindo um simples passo a passo, utilizando-se do login do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC).

Na hora de dispensar, basta ler o QR Code da Receita. 

O registro digital da dispensação equivale à retenção da via da farmácia para um dado medicamento e evita que o paciente utilize a mesma receita mais de uma vez, por exemplo. 

Além disso, o dispensador reconhece quando uma receita digital emitida pela Memed não está assinada com a certificação digital no padrão ICP Brasil, enviando um alerta. Isso garante não só a segurança da informação, como também auxilia na prevenção de fraudes.

 

Talvez você goste desse artigo também:


Já são mais de 30.000 drogarias aptas a dispensar medicamentos eletronicamente, faça parte você também!

 

Cadastre-se em nosso dispensador!

 

Gostou do conteúdo? Não se esqueça de conversar com a gente logo abaixo e compartilhar o artigo!