Há alguns anos, a propaganda das grandes companhias de cigarro nos fazia associar a um estilo de vida de sucesso, com seus carrões, modelos atléticos e belíssimos que, “coincidentemente”, sempre estavam segurando um cigarro. Essas são imagens que não correspondem à realidade e hoje sabemos que existem uma lista de doenças relacionadas ao tabagismo.

O cigarro é um produto extremamente prejudicial à saúde, que a médio ou longo prazo, cobrará um preço bastante alto a quem insiste, apesar de tanta informação e alerta, em fazer uso.  

Vamos conversar um pouco, mais adiante, sobre as principais doenças relacionadas ao tabagismo e quais tratamentos estão associados a elas. 

Antes, entretanto, a indicação que fica para quem fuma é: procure ajuda para superar esse vício e poder viver uma vida mais saudável. 

Vale destacar que entre as doenças provocadas pelo cigarro está o próprio tabagismo, que integra o grupo de transtornos mentais e comportamentais em razão do uso de substância psicoativa, é o que estabelece a pesquisa da Organização de Saúde (OMS), divulgada pelo Inca

O que é tabagismo?

Como indicamos acima, o tabagismo é uma doença causada pela dependência do uso de produtos que contenham tabaco, cujo princípio ativo é a nicotina.

O tabaco pode ser utilizado na forma de cigarro comum, cigarro de palha, cigarrilha, narguilé, cachimbo e charuto.Também pode ser mascado (fumo de rolo) ou aspirado (rapé).

Segundo informação no site do Instituto Nacional do Câncer (Inca), a fumaça do tabaco contém mais de 7.000 compostos e substâncias químicas. Estudos, como os realizados pela American Cancer Society, indicam que no mínimo 69 destes compostos e substâncias provocam câncer.

Entre as substâncias químicas encontradas estão: 

  • nicotina
  • alcatrão
  • amônia
  • monóxido de carbono
  • cetonas
  • solvente (benzeno)
  • metais pesados (chumbo e cádmio)
  • níquel
  • arsênico
  • agrotóxicos (DDT)

Principais doenças relacionadas ao tabagismo e o que fazer para combatê-las

Além do tabagismo, podemos relacionar mais de 50 doenças relacionadas ao tabagismo.

Devido às diversas substâncias altamente tóxicas encontradas na sua composição, o uso constante do cigarro tem consequências graves para a saúde.

Entre as principais doenças relacionadas ao tabagismo, citadas no site do INCA, estão:

  • Doenças cardiovasculares, como infarto do miocárdio, AVC, angina, derrame, aneurisma, hipertensão, trombose;
  • Câncer de pulmão, estômago, pâncreas, boca, esôfago, laringe, rim, bexiga, e ainda leucemia mieloide aguda (LMA);
  • Doenças respiratórias, como enfisema pulmonar, asma, bronquite e infecções respiratórias.

Além dessas, o cigarro pode causar ainda: 

  • aborto ou nascimento prematuro (no caso das gestantes),
  • baixa imunidade do organismo (predisposição para gripes e tuberculose),
  • impotência sexual,
  • infertilidade.

Se você está preocupada com a sua saúde ou com a de alguém próximo, talvez seja a hora de conhecer mais profundamente algumas das doenças relacionadas ao tabagismo e o que fazer para amenizar suas consequências. 

Infarto do Miocárdio e AVC (Acidente Vascular Cerebral)

A pesquisa da OMS e do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, divulgada pelo Hospital do Coração (HCor) indica que o infarto do miocárdio e o AVC (acidente vascular cerebral) são duas das principais doenças relacionadas ao tabagismo. 

Comparado às pessoas que não fumam, os fumantes têm um risco de 2 a 4 vezes maior de desenvolver um AVC

A principal causa do infarto do miocárdio é a aterosclerose, que são as placas de gordura que se acumulam no interior das artérias.

Essas placas (que favorecem a formação de coágulos) podem obstruir parcialmente e até interromper o fluxo sanguíneo, ou seja, o recebimento de oxigênio pelo músculo cardíaco. 

Por isso é tão importante o combate ao tabagismo! 

O principal sintoma do infarto do miocárdio é uma dor intensa na região do peito que irradia para as costas, rosto e braços (geralmente do lado esquerdo). 

Desobstruir a artéria entupida é primordial. Pode ser através de uma angioplastia coronária (desobstrução com a colocação de um stent) ou por fibrinolíticos (desobstrução por meio de remédios). 

Ir ao cardiologista, fazer acompanhamento periódico a fim de evitar a formação de novos coágulos (com medicação) e realizar uma mudança no estilo de vida são imprescindíveis para contribuir para vida mais saudável. 

Alimentação adequada, exercícios físicos e parar de fumar são fundamentais nesse processo. 

Bronquite Crônica, Asma, Enfisema Pulmonar e Câncer de Pulmão

As substâncias tóxicas que são inaladas por quem faz uso de cigarro inflamam os alvéolos pulmonares, provocando um aumento no tamanho dos mesmos, tornando-os rígidos, impedindo a oxigenação do sangue e, por consequência, a destruição de todo o tecido que reveste as vias respiratórias e pulmonar. 

Ainda segundo o INCA, Comparados aos não fumantes, estima-se que o tabagismo aumenta o risco de câncer de pulmão em 23 vezes em homens e em 13 vezes em mulheres.

Outras doenças respiratórias que podem ser desenvolvidas ou agravadas pelo uso de cigarro estão:

  • enfisema pulmonar, 
  • bronquite crônica, 
  • asma, 
  • infecções respiratórias.

Câncer de Boca e de Laringe

“Quem fuma cigarro ou utiliza outros produtos derivados do tabaco, como cigarro de palha, de Bali, de cravo ou kreteks, fumo de rolo, tabaco mascado, charutos, cachimbos e narguilé, entre outros, têm risco muito maior de desenvolver câncer de boca e de faringe do que não fumantes”, é o que afirma o Instituto Nacional do Câncer

Fique atento aos sinais para detectar o quando antes de que alguma coisa não vai bem:

  • feridas na boca (lábios, gengiva, garganta, bochecha, língua e faringe), que sangram e não cicatrizam por mais de 2 semanas,
  • manchas vermelhas ou esbranquiçadas no interior da boca,
  • sensação de algo agarrado na garganta,
  • caroços no pescoço,
  • rouquidão persistente.

Se estiver sentindo algum desses sintomas, procure a unidade de saúde mais próxima imediatamente.

Num estágio mais avançado, pode ocorrer a perda dos dentes, dificuldade para mastigar e engolir, dificuldade na fala e comprometimento dos nervos cranianos. 

Vá regularmente ao dentista e, em caso de qualquer suspeita, procure o otorrinolaringologista para fazer o acompanhamento. 

Lembre-se que tudo que é detectado a tempo, resulta num tratamento mais eficaz. 

Câncer de Bexiga

O tabagismo está associado ao câncer de bexiga em 50-70% dos casos.

O tabagismo é um dos principais fatores de risco do câncer de bexiga, devido ao grande número de toxinas e agentes químicos encontrados no cigarro, que entram na circulação sanguínea causando lesões nas células, que passam pelas vias urinárias.

Alguns dos sintomas aos quais você deve ficar atento são: 

  • necessidade de urinar com frequência,
  • queimação ou dor na hora de urinar, 
  • dor abdominal, 
  • dor na zona pélvica, 
  • sangue na urina,
  • perda de peso acentuada e repentina.

Tudo isso pode ser sinal de que você necessita procurar um nefrologista para fazer exames e acompanhamento. 

Outras doenças provocadas pelo cigarro

A lista ainda não acabou, e é tão longa que não cabe aqui neste artigo. A seguir organizamos mais algumas doenças relacionadas ao tabagismo às quais você deve ficar atento:

Doenças reumáticas

Estudos científicos já demonstraram que o tabagismo também atua para um aumento no desenvolvimento de doenças reumáticas, como a artrite. 

Úlceras gástricas

As pessoas que fazem uso do cigarro são mais propensas a desenvolverem doenças gastrointestinais, uma vez que as mucosas do estômago e intestino são bastante afetadas pelas toxinas liberadas pelo uso do cigarro. 

Complicações na gravidez

De acordo com dados divulgados pelo INCA, bebês de mulheres que fumam apresentam mais intercorrências durante o parto e têm o dobro de chance de nascerem com baixo peso.

Além disso, há um aumento de 70% de chance de aborto espontâneo, além de:

  • aumento de 40% de ter parto prematuro, 
  • 30% de chance do bebê apresentar morte perinatal. 

Diante dos riscos, mulheres grávidas devem abolir o cigarro e até mesmo, se afastarem de quem esteja fumando. Isso porque as toxinas do cigarro são altamente prejudiciais ao perfeito desenvolvimento da gestação. 

Impotência sexual

As toxinas liberadas pelo cigarro podem sim causar impotência sexual do homem nas relações sexuais

Pode ocorrer uma diminuição nos hormônios que são liberados na hora da relação, diminuição no fluxo sanguíneo para o pênis e também alterar a qualidade do esperma. 

Luta no combate ao tabagismo

O tabagismo mata 8 milhões de pessoas no mundo, por ano. Diante desse número assustador, lutar a favor do combate ao uso do cigarro se tornou uma luta de todos nós. 

E, além de causar gravíssimas doenças no próprio usuário, a fumaça expelida pode afetar também pessoas próximas, que convivem com esses fumantes e que ficam expostas,  acabando por inalar essa fumaça. Esses são os fumantes passivos.

Segundo a OMS, o fumo passivo é considerado como a 3ª maior causa de mortes evitáveis no mundo, perdendo apenas para o tabagismo ativo e o consumo de álcool em excesso.

O Brasil é um dos países que seguiram as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), e implementaram ações efetivas para a redução do consumo do tabaco e, por consequência, uma redução no número de pessoas com doenças relacionadas ao tabagismo. 

Entre as ações de combate ao tabagismo, estão: 

  • Proibição de veiculação de propaganda de cigarros em qualquer meio de comunicação de massa como TV, rádio, jornais, revistas e até mesmo internet;
  • Proibição de propaganda e até mesmo exibição em local de destaque nos postos de venda (e sempre acompanhados de advertência sanitária); 
  • Proibição de patrocínio das empresas de cigarro em eventos esportivos e culturais,
  • Proibição de fumar em locais fechados, que sejam públicos e privados;
  • Inserção de imagens fortes nos maços de cigarro com alertas quanto à toxicidade dos mesmos;
  • Criação do Disque Saúde 136, serviço telefônico gratuito com a finalidade de tirar dúvidas da população;
  • Aumento de impostos para as companhias de cigarro.

Com essas medidas o Brasil se tornou referência no combate ao tabagismo no mundo. Em 2019, a OMS lançou um relatório que colocou o país na segunda posição no mundo entre os países que cumprem o mais alto nível das seis medidas de controle do tabaco.

Dia Mundial Sem Tabaco

Criado em 1987, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o dia 31 de Maio foi estabelecido como o Dia Mundial Sem Tabaco! 

No Brasil, o INCA é o órgão responsável pela produção do material promocional e também pela divulgação em todas as unidades da federação.

O conteúdo produzido serve para lembrar e alertar a população sobre os riscos das graves doenças relacionadas ao tabagismo e das mortes que poderiam ser evitadas. 

As ações educativas, de comunicação e de atenção à saúde visam um aumento da conscientização sobre o grave problema que é o tabagismo e suas consequências, como também a necessidade de medidas urgentes para fortalecer o combate ao mesmo. 

O tabagismo é uma doença causada pela dependência da nicotina. E parar de fumar é a única maneira de evitar todas essas doenças provocadas pelo cigarro.

Não é uma tarefa fácil. É desafiador. Mas é preciso dar o primeiro passo. 

Como toda doença, o tabagismo precisa ser tratado. Procure ajuda!

Suporte da tecnologia para tratamentos do tabagismo e de doenças relacionadas

A agilidade no diagnóstico e na aplicação de um tratamento em busca da cura das doenças relacionadas ao uso do cigarro é de fundamental importância para bons resultados serem alcançados. 

Além disso, o acompanhamento do tratamento contra o próprio tabagismo, também tem muito a ganhar com a tecnologia.  

Um estudo feito pela Universidade de Dallas, no Texas (EUA) aponta que a adesão dos pacientes ao tratamento é maior quando a prescrição é feita por recursos digitais. Existe uma queda brusca na não adesão ao tratamento, que passou de 31,5% para 15,2%. 

Prova de que a transformação digital na saúde já é uma realidade. 

Leia também: Pesquisa com médicos da Memed revela preferência por plataformas de prescrição inteligente

A prescrição digital torna o tratamento mais acessível e cômodo ao paciente, que pode acompanhar tudo pelo smartphone. 

Com o sistema da Memed os médicos conseguem realizar prescrições de maneira muito mais ágil e inteligente, por meio de um sistema digital que oferece um catálogo de medicamentos robusto e atualizado. Contando com mais de 60 mil itens cadastrados, inclusive exames – já com código TUSS e SUS. 

Somos uma plataforma 100% gratuita, agilizando assim, a sua rotina e facilitando o acompanhamento das orientações por parte do seu paciente. 

Junte-se aos mais de 150 mil médicos cadastrados em todo o Brasil e prescreva digitalmente.

Cadastre-se grátis.