A diferença das tarjas dos medicamentos serve para indicar visualmente a classificação de venda daquele medicamento. Dessa forma, cada tipo de medicamento possui uma determinada cor e isso vai influenciar diretamente na hora da prescrição e da dispensação do medicamento. 

Com isso, entender a classificação das tarjas de medicamentos é fundamental para que haja uma prescrição correta. Alguns medicamentos não são controlados e têm sua venda sem necessidade de prescrição médica. 

No entanto, outros são regulados e só podem ser vendidos com receita médica. Esses medicamentos são regulados por meio de regras para dispensação de medicamentos de controle especial da Portaria 344/98

Mas afinal, qual a diferença das tarjas dos medicamentos? Qual a diferença entre tarja preta e vermelha, por exemplo? Para responder essas questões, vamos começar dos fundamentos e definições, para entender tudo com mais clareza. 

O que é tarja de medicamento?

Certamente você já viu que na caixinha de um medicamento tem uma faixa de diferentes cores, certo? Essa é a tarja de medicamento e ela existe como uma forma de regular o uso de medicamentos, principalmente de pessoas leigas que não entendem a função do medicamento, nem conhecem seus riscos, mas também daquelas que desejam fazer o mal uso intencionalmente.

Cada uma das cores indicam algo diferente e as cores encontradas são: 

  • Tarja vermelha
  • Tarja preta
  • Tara amarela

Entender qual o significado das tarjas dos medicamentos e qual a diferença entre tarja preta e vermelha, por exemplo, pode facilitar no momento da prescrição. Para te ajudar a entender melhor isso, separamos algumas informações importantes. Confira a seguir. 

Diferença das tarjas dos medicamentos

Tarja preta

Os medicamentos de tarja preta são aqueles entorpecentes ou psicotrópicos, das listas A1, A2, A3, B1 e B2 da Portaria 344/98. Eles só devem ser dispensados por meio da retenção da Notificação de Receita de cor azul ou amarela. 

Esses medicamentos agem no sistema nervoso exercendo ação estimulante ou sedativa. Já outros medicamentos que também possuem a tarja preta podem causar dependência, caso seu uso seja abusivo. 

Esses medicamentos possuem um controle mais rigoroso e só podem ser vendidos com receita médica, e essa receita fica retida na farmácia. 

Leia também: Erros de prescrição e como a Memed te ajuda a evitá-los

Tarja vermelha

Já os medicamentos que possuem a tarja vermelha, apresentam riscos intermediários

Alguns deles são aqueles da lista C1 que possuem outras substâncias sujeitas a controle especial; os retinóides de uso tópico; anti-retrovirais e anabolizantes da lista C5, adendos das listas A e B da Portaria 344/98 (e suas atualizações), e os Antibióticos da RDC 20/11. Esses possuem a frase “Venda Sob Prescrição Médica” na embalagem junto à tarja vermelha. 

Além disso, existem outros que podem ter mais efeitos adversos ou que demandam mais cautela de uso, que possuem a inscrição: “Venda Sob Prescrição Médica”- “Só Pode ser Vendido com Retenção da Receita”. Os antibióticos são exemplos desse caso. 

Dessa forma, para entender qual a diferença entre tarja preta e vermelha, basicamente é que alguns medicamentos de tarja vermelha não precisam ter a receita retida na farmácia. 

Leia também: Farmácias que aceitam as receitas digitais

Tarja amarela 

Os medicamentos que possuem tarja amarela são os genéricos. Nesse caso, quando o medicamento possui apenas a tarja amarela, não é necessário ter receita médica. Ele pode ser comprado livremente, como é o caso do paracetamol e ibuprofeno, por exemplo. 

No entanto, é importante estar atento à embalagem. Pois, mesmo os genéricos com a tarja amarela, também podem apresentar a tarja vermelha ou preta. Como é possível observar na imagem abaixo. 

diferença das tarjas dos medicamentos

Fonte: Agência Brasil 

Dessa forma, eles possuem as mesmas restrições e riscos mencionados anteriormente. Nesse caso, a única coisa que muda é o preço que o paciente vai pagar por ele. 

E aqueles que não possuem tarja?

Além dessas três tarjas que mencionamos, existem aqueles medicamentos que não possuem nenhuma tarja. Nesse caso, eles não possuem nenhum tipo de restrição e podem ser comercializados livremente. 

Esses medicamentos isentos de prescrição são considerados dessa maneira para aliviar sintomas de doenças que não são graves, com evolução muito lenta ou nula, e que quase não apresentam agravos à saúde ou reações adversas. No entanto, ainda que eles possam ser comercializados livremente, também é importante usá-los de forma correta, sem abusos e com orientação médica prévia.

Como é feita a prescrição? 

Assim como existem diferenças das tarjas dos medicamentos, também existe diferença na hora de fazer a prescrição. Isso porque alguns medicamentos podem ser prescritos em receita simples, mas devem ser apresentados para dispensação; outros devem ser prescritos em receitas de controle especial e outros somente com as notificações de receituário especial (como as receitas amarelas). 

Para saber em qual tipo deve ser feita a prescrição, vai depender do medicamento o tipo de prescrição depende da composição, da concentração e da forma física. São muitos detalhes e o setor de medicamentos é extremamente regulado. Afinal de contas, estamos falando da vida de outras pessoas, não é mesmo? 

Mas você sabia que não é preciso saber decorado todos esses detalhes? Isso porque, você pode contar com a ajuda da tecnologia para fazer a prescrição de medicamentos. A Memed, por exemplo, é uma plataforma de prescrição médica digital gratuita e oferece mais 85 mil itens cadastrados para te auxiliar a fazer suas receitas digitais.

A Memed oferece receita digital e traz recursos extras para apoio, como uma base de dados de medicamentos e exames, que aliada às ferramentas de apoio à decisão clínica, auxilia nas tomadas de decisões. 

É possível saber quando um medicamento interage com outro, por exemplo, ou até quando o paciente tem alergia a algum princípio ativo do medicamento receitado – tudo em tempo real. Além disso, também é possível verificar se aquele medicamento é caro demais ou se está descontinuado. Tudo de forma bem simples e intuitiva. 

Confira no vídeo abaixo como fazer uma prescrição digital de forma rápida e segura: 

Gostou? Cadastre-se agora mesmo gratuitamente.