Ícone do site Blog Memed

Inteligência artificial na saúde: possibilidades de aplicação, benefícios e orientações da OMS

Inteligência artificial na saúde

Inteligência artificial na saúde

Quando você pensa em medicina do futuro, o que lhe vem à cabeça?

Os avanços da tecnologia, a transformação digital e os estudos científicos na medicina observados nos últimos anos têm impactado os serviços com foco na promoção da saúde.

A inteligência artificial(IA), por exemplo, vem se mostrando uma grande aliada no cuidado de pacientes. Softwares que simulam habilidades cognitivas do cérebro humano conseguem interpretar dados, fazer relações e responder a comandos com agilidade e eficiência.

Mas como isso acontece na prática, no dia a dia de médicos e pacientes?

Neste artigo, vamos explicar como funciona a inteligência artificial na saúde e mostrar algumas das principais possibilidades e benefícios da inteligência artificial.

Além disso, você também vai descobrir as recomendações da OMS para a incorporação da tecnologia de IA nos serviços de saúde.

Leia também: Telemedicina no Brasil e suas regulamentações

Inteligência artificial na saúde: como isso funciona?

A inteligência artificial se refere ao uso de softwares que interpretam e analisam informações e grandes volumes de dados, percebendo variáveis e tomando decisões. Basicamente, IA são as máquinas pensando como os seres humanos.

Aplicada na saúde, a inteligência artificial tem como objetivo melhorar a agilidade e a precisão de diagnósticos, além de auxiliar o atendimento clínico.

A inteligência artificial na saúde também pode ser observada em pesquisas científicas, dispensação e administração de medicamentos.

A plataforma da Memed, por exemplo, possui um recurso que usa inteligência artificial para alertar os médicos sobre interações medicamentosas de nível leve, moderado ou grave 

Veja mais sobre a Memed neste vídeo:

Outras soluções de inteligência artificial permitem monitorar os sinais vitais do paciente de maneira contínua, coletando dados e fazendo análises mais completas. Esse monitoramento possibilita atuar melhor na prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças.

Veja um exemplo de pulseira de monitoramento de alguns sinais vitais, desenvolvida para ajudar quem pratica esportes:

Inteligência artificial no diagnóstico por imagens

Na área de exames de imagens, a inteligência artificial também tem sido de grande ajuda no diagnóstico de pacientes. Os dados das imagens são armazenados e analisados em busca de padrões que indiquem um diagnóstico em função das imagens capturadas.

Entenda mais sobre isso neste vídeo:

Leia mais: Integração entre sistemas e o ecossistema digital de saúde

Quais são os benefícios da inteligência artificial na saúde?

Existem vários benefícios da inteligência artificial na saúde. Um dos principais se refere ao maior controle que os pacientes podem ter sobre os cuidados da própria saúde.

Confira abaixo outras vantagens que os recursos de IA têm a oferecer:

Veja também: A transformação digital é sobre pessoas

OMS e Inteligência artificial: principais orientações 

Em junho de 2021, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou o relatório Ética e Governança da Inteligência Artificial para a Saúde.

Nesse documento, elaborado em conjunto com especialistas internacionais de diferentes áreas, a OMS define algumas diretrizes para o uso de inteligência artificial na saúde de forma ética.

O relatório funciona como um guia com novas orientações para que as tecnologias de IA possam ser utilizadas de forma mais eficaz na promoção da saúde, minimizando riscos e maximizando seus benefícios.

Esse relatório da OMS adverte, por exemplo, sobre usos antiéticos, uso indevido de dados dos usuários e o preconceito codificado nos algoritmos, programados por seres humanos.

Há também uma preocupação da OMS no que se refere  a uma possível subordinação de pacientes e comunidades às empresas de tecnologia que desenvolvem recursos de tecnologia artificial.

O relatório faz questão de enfatizar também que os sistemas podem funcionar bem em países desenvolvidos e deixar a desejar quando aplicados em países mais pobres devido à escassez de base de dados em que tais sistemas são construídos.

A OMS chama a atenção para a necessidade de os sistemas de inteligência artificial serem projetados considerando diferentes contextos socioeconômicos e de saúde.

Por fim, o órgão internacional cita 6 princípios que devem servir de base para a regulamentação e governança no uso da inteligência artificial na saúde. 

Os 6 princípios da inteligência artificial na saúde:

  1. Proteger a autonomia humana;
  2. Promover o bem-estar e a segurança humana e o interesse público;
  3. Garantir transparência, aplicabilidade e inteligibilidade;
  4. Promover responsabilidade e prestação de contas;
  5. Garantir inclusão e equidade;
  6. Promover inteligência artificial que seja responsiva e sustentável.

A medicina do futuro estará cada vez mais amparada no bom uso da tecnologia. A inteligência artificial na saúde é uma tendência que veio para ficar; mas é preciso saber incorporá-la de forma ética para aproveitar tudo de bom que ela tem a oferecer.

Saiba mais: A tecnologia atrelada à medicina

Entenda ainda mais sobre o uso da inteligência artificial na medicina neste vídeo do Olhar Digital:

A Memed é uma plataforma de prescrição digital GRATUITA que auxilia médicos, farmácias e pacientes por meio da automatização das receitas e uso de inteligência artificial. 

Entre outros benefícios ela: 

Se você é médico, cadastre-se gratuitamente aqui: Quero Prescrever Online

Farmácias também podem participar, clique aqui: Quero Dispensar Recitais Digitais 

Sair da versão mobile