Mercado clandestino de medicamentos: Saiba quais são os principais impactos e riscos

19 de agosto de 2022 em Ecossistema Digital de Saúde, Prescrevendo Digitalmente

Diversos podem ser os motivos que levam uma pessoa a comprar um medicamento sem prescrição médica. Isso faz crescer o mercado clandestino de medicamentos. No entanto, existem muitos riscos envolvidos nessa prática e é sobre eles que vamos abordar neste artigo. 

Quando uma pessoa se automedica ela já pode estar suscetível a danos. Ao utilizar medicamentos que só podem ser vendidos com a prescrição médica, adquirindo-os por meio do comércio ilegal de medicamentos, os riscos são ainda maiores. 

A venda de medicamentos só pode ser realizada em farmácias e drogarias que possuem uma licença para funcionamento emitida pelo órgão de vigilância sanitária da cidade onde ela se encontra e também uma autorização da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). 

Caso alguém comercialize medicamentos sem autorização, como é o caso do mercado clandestino de medicamentos, está cometendo uma infração sanitária e pode responder legalmente. 

Contudo, vale salientar que diversas farmácias possuem seu e-commerce e são autorizadas a fazer a venda de medicamentos online de forma legal, certo? 

Leia também: Qual a diferença das tarjas dos medicamentos? Para que elas servem?

A segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos  de forma correta são fundamentais para que o paciente tenha as menores chances de complicações com sua saúde

É de responsabilidade do médico fazer a prescrição, já que por meio da anamnese ele identifica o que o paciente precisa e calcula a dosagem correta. Apenas ele pode prescrever um medicamento que é de uso controlado, como os de tarja preta, por exemplo. Para obter um medicamento desse tipo, é emitida uma receita especial. 

O que acontece no mercado clandestino de medicamentos é que algumas pessoas conseguem comercializar esse tipo de medicamento sem necessidade de receita e sem autorização legal. Isso pode ocasionar danos graves às pessoas. Confira abaixo os principais riscos do comércio ilegal de medicamentos. 

Mercado clandestino de medicamentos: principais riscos

1. O medicamento pode ser falsificado

Como no mercado clandestino de medicamentos não existe fiscalização nem regulação dos medicamentos, eles podem ser falsificados e vendidos como originais e a pessoa comprar sem ter certeza. 

De acordo com um estudo, pelo menos 15% do mercado nacional de medicamentos são falsificados. Esse valor engloba também aqueles medicamentos originais, mas que podem ter sido frutos do roubo de cargas. 

Além disso, de acordo com uma reportagem da CNN, a Receita Federal percebeu um crescimento de 147,65% nas apreensões de medicamentos piratas e contrabandeados em São Paulo, ao comparar com os valores de 2019.

Geralmente os medicamentos que são mais falsificados são aqueles com um custo maior, como os de diabetes, medicamentos para emagrecer, hepatite, câncer e hormônios de crescimento. 

2. Pode causar diversos efeitos colaterais

Quando uma pessoa compra um medicamento desse tipo, ela está sujeita a sofrer consequências desconhecidas. Isso porque quando um medicamento é falsificado não se sabe quais substâncias foram utilizadas. Eles podem tanto não apresentar eficácia para o que se busca, como causar danos graves, como intoxicação, por exemplo. 

Leia também: O que é intoxicação medicamentosa e como identificar?

3. Pode causar resistência do organismo

O médico é o profissional que pode prescrever as medicações para cada  tratamento. Quando uma pessoa se automedica e não tem nenhuma orientação e ainda recorre ao comércio ilegal de medicamentos, seu organismo pode se tornar resistente e não responder mais aquele medicamento. 

Leia também: O que é anamnese médica? Saiba por que ela é importante e como fazer em 5 etapas

4. Risco de interação medicamentosa 

Um médico sabe quais são as interações medicamentosas, ou seja, quais os efeitos de um medicamento quando utilizado ao mesmo tempo que outros. Plataformas de saúde, como a Memed, por exemplo, que oferece receita digital gratuita, possuem, inclusive, um alerta automático na hora da prescrição digital. 

Contudo, se um medicamento foi adquirido no comércio ilegal de medicamentos e ele pode conter substâncias desconhecidas, não é possível saber se existe o risco de interação medicamentosa. Novamente, isso pode levar a sérios danos ao paciente. 

5. Condições de armazenamento desconhecidas

Os medicamentos precisam ser armazenados em condições específicas para suas características se manterem estáveis, como em locais secos, arejados, sem grandes variações de temperatura ou de umidade. Alguns, por exemplo, precisam ser mantidos em temperaturas baixas para terem a qualidade garantida. 

No entanto, quando se recorre ao mercado clandestino de medicamentos, dificilmente você conseguirá saber se esse controle realmente existiu, e, muito provavelmente, não houve de forma alguma. 

Com a alteração nos medicamentos, também pode haver novamente riscos de efeitos adversos. 

Leia também: Medicamento MIP: o que é e o que diz a legislação?

Agora que você sabe os principais riscos que o mercado clandestino de medicamentos pode oferecer, dá para ter uma ideia de como a segurança do paciente fica comprometida, certo?

Dessa maneira, o ideal é sempre procurar um médico para que ele prescreva o medicamento ideal. E ao adquirir um medicamento optar sempre por farmácias e drogarias autorizadas pela Anvisa. 

Hoje em dia também é possível contar com o auxílio de plataformas como a Memed que trazem mais segurança com um acompanhamento médico mais próximo do paciente. Incluir os dados que temos da Memed. 

Qualidade do sono: 5 benefícios + 18 dicas para dormir bem

17 de agosto de 2022 em Bem-estar, Plugue seu sistema

A qualidade do sono no Brasil é preocupante. Uma pesquisa da Associação Brasileira do Sono (ABN) identificou que 65% da população não dorme o suficiente. Já 64% dos entrevistados afirmam que utilizam o aparelho móvel antes de dormir, uma prática que prejudica esse importante hábito noturno. 

Você também sofre com esse problema? Se sim, continue lendo este artigo. 

A partir de agora, você terá acesso a um guia completo que mostra qual é a importância do sono para a saúde, como melhorar o sono à noite, quais são as melhores estratégias para dormir melhor, entre outras questões. 

Boa leitura! 

Leia mais também em: O que é anamnese médica? Saiba por que ela é importante e como fazer em 5 etapas

Qual é a importância do sono para a saúde? 

De acordo com o departamento científico de sono, da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), existem diversos motivos pelos quais uma pessoa deve dormir. Veja abaixo! 

1- Limpar o lixo metabólico 

Um dos principais benefícios do sono é que esse hábito tem o poder de limpar o lixo metabólico que é produzido pelo cérebro durante a vigília. 

Outro ponto positivo é que o sono é responsável por limpar neurotoxinas e o acúmulo beta-amilóide (que quando concentrada predispõe a doença de Alzheimer e outras doenças). O departamento informa que diversos estudos, inclusive, já mostraram que as pessoas que dormem menos têm mais chances de serem diagnosticadas com Alzheimer. 

2- Imunização mais eficiente 

O documento destaca também que o sono parece fundamental para garantir uma resposta imune com mais qualidade. Alguns pacientes que não dormem bem em sua rotina tem redução dos títulos de anticorpos à metade em resposta à vacinação.

3- Aprendizado mais fácil 

Você tem dificuldades para aprender um novo conceito? Se respondeu positivamente a essa pergunta, a falta de sono pode ser um dos obstáculos para absorção de conhecimento. 

Isso porque, durante a nossa rotina, quando aprendemos algo novo, essa memória fica armazenada no cérebro. Porém, esse processo ocorre sem muita força. Ao dormir melhor, a informação é guardada várias vezes, garantindo um aprendizado mais eficiente. 

4- Mais concentração durante a rotina 

Um sono de má qualidade pode influenciar não só nas atividades diárias, mas também no seu sucesso profissional, uma vez que ele afeta diversas características que são importantes para o desenvolvimento de qualquer pessoa. 

  • Atenção; 
  • Tomada de decisão;
  • Funções executivas;
  • Criatividade;
  • Memória de trabalho. 

5- Auxílio no processamento emocional 

Os sonhos, de acordo com psicanalistas, têm o poder de construir ambientes onde o ser humano reprime impulsos primitivos, irracionais e normalmente não aceitáveis.

“Estudos modernos de neuroimagem demonstraram ativação excessiva do sistema límbico (parte do cérebro que processa emoções) em relação ao córtex pré-frontal (região que determina racionalidade e tomada de decisões), e sugerem que o sono é essencial para o processamento emocional, que ajuda a manter nossa saúde mental”, destaca a documentação do departamento científico de sono. 

Leia mais também em: 

Quantas horas são necessárias para dormir bem?

Agora que você já sabe quais são os benefícios de dormir bem, provavelmente, está se perguntando: quanto tempo é necessário para ter uma qualidade de sono satisfatória? 

É fundamental deixar claro que a necessidade de horas de sono varia de indivíduo para indivíduo. De forma geral, recomenda-se que os adultos tenham 8 horas de sono diárias, no entanto, o mais indicado é que cada um respeite as suas necessidades e limites. 

Algumas pessoas conseguem ter uma rotina saudável com apenas 6 horas de sono por noite, enquanto outras precisam de 10 horas para enfrentar os desafios da rotina, conforme aponta a Cartilha do Sono, desenvolvida pela Associação Brasileira de Medicina do Sono (ABMS). 

A quantidade de horas de sono também varia em cada fase da vida.

  • Recém-nascido: dorme em média 14 a 18 horas diárias. O bebê tem o hábito de intercalar períodos acordados a cada 3 ou 4 horas. Essa quantidade de sono é indicada porque influencia no crescimento e desenvolvimento, especialmente neuronal;
  • Infância: com o avanço da idade, ocorre alterações no ritmo sono-vigília e na quantidade de horas de sono necessárias. Dessa forma, entre 3 a 5 anos, fase denominada como idade pré-escolar, recomenda-se dormir entre 13 a 15 horas, com momentos para cochilo ao longo do dia. Já entre 6 a 12 anos (idade escolar), o mais indicado é dormir entre 9 a 11 horas diárias, não sendo necessário o cochilo durante o dia;
  • Adolescência: esse período é considerado bastante particular, uma vez que os jovens passam por alterações no padrão de sono. É importante dormir entre 8 a 10 horas. Em grande parte dos casos, ocorre um atraso na fase do sono. Nela, os adolescentes têm o hábito de dormir mais tarde e acordar mais tarde. Essa modificação é considerada natural do ritmo sono-vigília, que é influenciada pelos horários escolares e outras atividades sociais que surgem durante a rotina;
  • Vida adulta: para esse grupo de pessoas, a quantidade de sono ideal varia entre 7 a 9 horas. A média indicada é 8 horas; 
  • Idade avançada: a necessidade de sono pode ter uma pequena alteração, entre 7 a 8 horas. No entanto, os idosos podem dormir mais cedo e acordar mais tarde. É comum ainda os cochilos durante o dia. 

Veja abaixo a duração do sono de acordo com a idade. 

Dicas para dormir bem: o que fazer para ter uma boa noite de sono? 

A Associação Brasileira de Medicina do Sono lista algumas dicas que ajudam a dormir melhor. Veja abaixo! 

  1. Ir para a cama somente quando estiver com sono;
  2. Evite ficar na cama se você não estiver com sono. O mais indicado é sair do quarto se tiver acordado mais tempo do que gostaria. Busque um cômodo silencioso para relaxar fora do quarto e só retorne para o ambiente com sono; 
  3. Tome um banho morno 2-3 horas antes de deitar; 
  4. Descubra o seu melhor ambiente e posição para melhorar a qualidade do sono. Vale testar várias posições e travesseiros; 
  5. Técnicas para dormir bem como respiração profunda e meditação podem ajudá-lo a dormir melhor; 
  6. Procure não ter cochilos longos diurnos. Caso tenha necessidade em descansar, estabeleça um limite de tempo de, no máximo, 30 minutos depois do almoço; 
  7. Manter uma rotina regular no horário de deitar e levantar;
  8. Apagar a luz do quarto quando for dormir. O ambiente deve ficar silencioso; 
  9. Se houver necessidade de levantar durante a noite, recomenda-se utilizar lâmpadas adequadas. A luz branca não é indicada; 
  10. Mantenha a temperatura do quarto confortável na hora de iniciar e no momento do sono; 
  11. Evite o uso de medicamentos para o sono sem prescrição do médico. Isso é muito importante, uma vez que eles podem ter efeitos colaterais negativos, especialmente em idosos; 
  12. Use melatonina somente com orientação do médico, afinal, ela nem sempre traz benefícios para todas as pessoas; 
  13. Use meias para dormir em dias mais frios; 
  14. Separe 15 minutos pela manhã para resolver os problemas que mais prejudicam a qualidade do sono. Isso pode diminuir os desconfortos noturnos; 
  15. Evite discutir com amigos, familiares ou parceiros no início da noite; 
  16. Procure deixar os animais que atrapalham o sono em ambientes fora do cômodo;
  17. Não faça atividades na cama. Algumas são prejudiciais para o sono, como: assistir televisão, usar smartphones e ler e-mails;
  18. Evite alimentação pesada próximo ao horário de dormir. 

Alimentação das crianças e qualidade do sono 

Os pais também devem ter um cuidado especial em relação à alimentação das crianças, de acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). 

“É necessário que a criança e o adolescente façam regularmente suas refeições durante o dia para que, na hora de dormir, não estejam com fome e nem superalimentados. Deverão jantar cedo ou fazer um lanche antes de dormir, se estiverem acostumados a isso. O prazer de ser alimentado está associado a um momento de interação com seus pais, mesmo depois de saciado.”, explica em comunicado. 

A SBP destaca que os pais precisam aprender a observar quando os pequenos estão com fome ou quando usam a alimentação para receber carinho e interação. 

“Se for realmente fome, o jantar ou o lanche devem ser suficientes. Se for necessidade de interação, deverá ocorrer em outro horário e não aquele que precede o sono ou o próprio horário de dormir. Deve-se também prestar atenção em alguns alimentos e medicações estimulantes, como aqueles que contém cafeína.”, completa.  

A sociedade ainda recomenda que chá mate, chá preto, chocolate, café e refrigerantes (guaranás e colas) sejam ingeridos até quatro horas antes do horário de dormir. 

Existem alguns grupos de alimentos que são benéficos antes do sono, uma vez que estão associados ao metabolismo de melatonina e serotonina. Dentre os mais comuns, encontram-se:  lanche leve com frutas, leite, bolo simples, pão ou queijo branco. 

Se, mesmo com as nossas dicas, você não consegue dormir melhor, recomenda-se procurar ajuda médica para identificar o problema e resolvê-lo com mais assertividade. 

O neurologista é o profissional mais indicado para tratar questões relacionadas ao sono.

O que influencia na qualidade do sono?

Pesquisadores da Universidade da Pensilvânia e da Universidade de Nevada, nos Estados Unidos, concluíram que a obesidade é um dos fatores que atrapalham o sono. 

Em um estudo publicado no jornal PLOS Biology, os pesquisadores descobriram que, quando é feita a liberação ou queima de reservas de energia durante o dia, há menos adiposidade e mais correção do transtorno de sono. 

Para solucionar esse problema, não há outra saída, é essencial cuidar da reeducação alimentar e fazer atividades físicas. Os resultados podem não aparecer da noite para o dia, mas, aos poucos, será possível perceber mudanças no corpo e na qualidade do sono. 

Celular também prejudica o sono 

Um novo estudo destacou que o vício em smartphones prejudica a qualidade do sono. Para chegar a essa conclusão, pesquisas analisaram o envolvimento de 1.043 estudantes (entre 18 e 30 anos) no King’s College, de Londres, com a tecnologia. 

Em seguida, solicitaram que os participantes respondessem a dois questionários sobre a qualidade de sono e uso de aparelhos móveis. 

Os estudantes tinham que responder a 10 perguntas. Para se ter uma ideia, cerca de 40% dos avaliados se classificaram como “viciados” na tecnologia. 

“Nossa prevalência estimada é consistente com outros estudos relatados em populações de adultos jovens em todo o mundo, que estão na faixa de 30%-45%”, explica a autora principal e estudante de medicina do King’s College, Sei Yon Sohn, e os coautores da pesquisa.

“O tempo de uso na madrugada também foi significativamente associado ao vício em smartphones, com o uso após 1 hora da manhã conferindo um risco três vezes maior”, relataram os autores.

Percebeu os impactos que a qualidade do sono pode trazer para a sua vida? Além dela, é importante ter atenção com outros cuidados que prejudicam diretamente a sua saúde. Pensando nisso, gostaríamos de convidá-lo para uma reflexão: qual foi a última vez que você foi ao médico? Faz muito tempo? Como avaliou o atendimento? Complicado ou eficiente? 

Bem, a Memed busca facilitar a sua rotina para que esse processo seja satisfatório. Aqui, o médico envia a sua prescrição digital por SMS e, além de ser mais segura e precisa para a apresentação ao farmacêutico, você também economiza comprando os medicamentos diretamente em seu celular. É mais praticidade e tranquilidade para a sua rotina. 

Sem dúvidas, com o apoio da Memed, a sua qualidade de sono terá resultados ainda mais satisfatórios. Acesse o site e conheça todo o potencial da tecnologia. 

As informações contidas nesse texto foram retiradas da literatura médica e de sites que discutem questões de saúde. Eles não representam a opinião da Memed e também não devem ser usados para diagnóstico. Em qualquer situação, procure seu médico para que ele possa te passar as orientações corretas para o seu caso específico

Quais as melhores práticas de bem-estar para viver bem?

16 de agosto de 2022 em Plugue seu sistema
práticas de bem estar mulher meditando

Estamos vivendo em um mundo cada vez mais agitado e estressante. Adotar práticas de bem-estar no dia a dia ajuda a encontrar um equilíbrio em meio a tanta correria. Neste artigo, reunimos dicas práticas de bem-estar que contribuem para isso.   

Estar feliz e em paz é a maior busca das pessoas nessa vida. No entanto, para se ter felicidade, a prática do bem-estar diária é fundamental. Além disso, fazer uma autoanálise para identificar quais são as ações que dificultam o seu  bem-estar também contribui para chegar a esse equilíbrio. 

Antes de falar sobre as práticas de bem-estar, vamos primeiro abordar  o que é bem-estar para você. Quando sabemos o que estamos buscando, fica mais fácil compreender as dicas para alcançá-lo, não é mesmo? Então, vamos lá. 

O que é bem-estar para você?

Bem-estar é sentir-se bem, mas essa sensação é algo muito pessoal. Cada pessoa pode se sentir bem de uma forma diferente. Dessa maneira, dizer que bem-estar é apenas se sentir bem não quer dizer muita coisa, não é mesmo?

Por trás dessa resposta sobre o que é bem-estar para você estão diversos fatores. Afinal, é preciso estar em equilíbrio para se ter bem-estar. Para isso, é necessário que as cinco dimensões do nosso ser estejam em harmonia: 

  • Física
  • Emocional
  • Mental
  • Social
  • Espiritual

Isso quer dizer que o bem-estar está relacionado com a maneira como você se sente diante de alguns fatos e acontecimentos, com as pessoas ao seu redor e até mesmo como você enxerga a sua própria vida. 

Muitas vezes quando estamos tão imersos nos afazeres diários não paramos para fazer esse tipo de reflexão. O que acontece é que às vezes nos pegamos infelizes ou insatisfeitos com a nossa vida, mas não sabemos como melhorá-la.

Para isso, vamos te ajudar dando algumas dicas de bem-estar e você pode começar a colocá-las em prática para sentir o que muda na sua vida. 

Leia também: O que é anamnese médica? Saiba por que ela é importante e como fazer em 5 etapas

6 práticas de bem-estar para viver melhor

1. Esteja presente no momento

De acordo com um resumo científico apresentado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a prevalência de ansiedade e depressão aumentou em 25% no mundo todo durante o primeiro ano da pandemia de Covid-19

É claro que passamos por momentos muito difíceis e inéditos. No entanto, a ansiedade afeta o mundo todo não apenas por causa da pandemia e não foi algo exclusivo de um ano. Por isso, é importante estar atento a esse fator. E a ansiedade nada mais é do que não estar vivendo o momento presente. 

Por isso, trazer sua atenção de forma plena ao que você está fazendo naquele momento, sem se preocupar com o que ainda não aconteceu ajuda a ter mais equilíbrio e bem-estar.

Faça o exercício de em alguns momentos do dia parar para analisar se você está realmente presente ou se está pensando em várias coisas ao mesmo tempo. Ações simples como escovar os dentes pode ser um exemplo disso. É comum querermos aproveitar um momento para fazer várias coisas ao mesmo tempo, mas isso faz com que você faça tudo no automático, sem se dar conta de detalhes.  

2. Tenha uma boa alimentação

A alimentação é a base para tudo na nossa vida. Já parou para pensar que a causa de uma dor de cabeça, muitas vezes, é fruto de algo que você comeu? A alimentação deve ser usada como remédio para fazer com que o corpo funcione bem e traga bem-estar para sua vida. 

Por isso, ter uma alimentação equilibrada é fundamental. Além disso, por meio da alimentação também conseguimos ter mais serotonina, o hormônio da felicidade e do bem-estar. Veja no vídeo abaixo um pouco mais sobre a importância da serotonina e em quais alimentos é possível encontrá-la:

&controls=1&autoplay=1&enablejsapi=1&rel=1'> C9FqClAHg1Y
" frameborder="0" allow="accelerometer; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowfullscreen title="C9FqClAHg1Y" loading="lazy" src="
&controls=1&autoplay=1&enablejsapi=1&rel=1" >
> C9FqClAHg1Y
" frameborder="0" allow="accelerometer; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowfullscreen title="C9FqClAHg1Y" loading="lazy" src="
" >

Leia também: Nutrição e saúde da mulher: a importância da alimentação para o bem-estar

3. Busque o autoconhecimento

O autoconhecimento significa se conhecer, é a capacidade que uma pessoa possui de olhar para si mesma e saber quais suas qualidades e defeitos. É conhecer seus medos e suas frustrações. 

Quando sabemos quais são nossos defeitos, por exemplo, podemos trabalhar para mudá-los e nos tornarmos pessoas melhores. Se sabemos quais são nossos medos, podemos criar estratégias para superá-los aos poucos. Ao se conhecer melhor é possível criar novas oportunidades de mudança. 

Uma das formas de buscar esse autoconhecimento é por meio da meditação e do yoga. Existem pessoas que procuram auxílio de profissionais como psicólogo, embora seja uma busca muito pessoal. 

Para se conhecer melhor, ter mais autoconhecimento, requer força de vontade e até mesmo coragem. Afinal de contas, é possível descobrir coisas sobre si que você pode até não aceitar. Mas, a partir do momento que você tem conhecimento, tem a oportunidade de mudar. 

4. Durma bem

Uma boa noite de sono precisa ser reparadora. Tente perceber se, ao acordar, você está se sentindo bem ou se ainda está cansado. É durante o sono que conseguimos produzir vários hormônios, como o GH que é responsável pelo crescimento. 

Dessa forma, se a qualidade do seu sono não estiver boa, vale tentar descobrir o que está contribuindo para isso. Por exemplo, ficar no celular logo antes de dormir, ficar pensando nos problemas do dia ou no que precisa fazer no dia seguinte, tudo isso pode ocasionar em um sono de má qualidade. 

Ter uma noite bem dormida é umas das boas práticas de bem-estar. 

5. Pratique atividade física

A prática de atividade física é uma dica de bem-estar praticamente instantânea. Isso porque, assim que você termina de fazer qualquer tipo de atividade física, como correr ou pedalar, por exemplo, você sente a sensação de bem-estar. 

O ideal para se ter uma boa saúde é praticar todos os dias, pelo menos 30 minutos por dia. Dessa forma, você cuida do seu bem-estar, da sua saúde física e mental, tudo ao mesmo tempo. 

6. Faça atividades que tragam felicidade

Todos nós temos algo que nos deixa felizes, não é mesmo? Viajar com os amigos ou com a família, ir ao parque, fazer atividade física… Uma das práticas de bem-estar é fazer aquilo que te traz felicidade. 

Veja algo que te deixa feliz e inclua em sua rotina. Se for muito difícil para você pensar que vai ter algum momento de lazer entre tantos compromissos, inclua-o em sua agenda, como um compromisso também. Afinal, é um tempo que você vai tirar para você, para sua saúde, seu bem-estar.  Certamente isso vai trazer muitos benefícios para sua vida como um todo

7. Monitore sua saúde

Embora todas essas práticas de bem-estar sejam importantes para que uma pessoa tenha uma vida equilibrada, é fundamental que ela acompanhe sua saúde também. 

Dessa maneira, se tem muito tempo, por exemplo, mais de três anos, que você não faz um check-up, talvez seja a hora de fazer alguns exames básicos. Graças a telemedicina, o atendimento médico de qualidade pode chegar a mais pessoas.

Plataformas de saúde, como a Memed, auxiliam nessa evolução e trazem mais agilidade para o atendimento médico. A Memed oferece prescrição digital gratuita e possui mais de 60 mil medicamentos cadastrados.